top of page

Corpo-Árvore na Ocupação 9 de Julho

CORPO-ÁRVORE


com (se)cura humana (Flavio Barollo, Jeferson Rogério, Malu Avelar e Wellington Tibério)


Sinopse


A última árvore é encontrada despedaçada. Sobreviventes do colapso ambiental tentam fazê-la reviver por meio de aparelhos tecnológicos para que ela cumpra a vital função de umidificar a vida. Será possível recriar os rios voadores? A invenção dessa árvore-máquina conseguirá nos redimir?







Fotos de Lucas Bambozzi



A invenção desse país teve como base a exploração irrestrita da natureza, foi para isso que o Brasil passou a existir, esse foi o projeto inaugural instaurado nessas terras. E esse projeto se insere em um mais amplo de transformação da natureza em recurso para ser apropriada pela lógica de produção vigente. Um mundo à disposição de um único ser que se compreende como superior aos demais. Essa ideia sustentou o desenvolvimento econômico por séculos e ainda o sustenta, mas dá sinais de exaustão. Há uma inconveniente realidade que tem nos mostrado cada vez mais o nosso devido lugar de parte de um grande sistema. Há limite para aquele projeto que se instaurou aqui há 520 anos. Há limite para a ação humana sobre o planeta. Vários povos sempre entenderam isso, mas nós estamos precisando vislumbrar o risco à nossa condição de existência para entendermos que esse limite realmente existe.

E se acabarmos com a Amazônia, com a floresta do Congo e com as demais áreas florestais do mundo? O que será de nós se não pararmos de avançar no consumo da natureza para atender nossos desejos de bem estar e comodidade?


A convite do projeto Ambiente Político, do Sesc Pompeia, o coletivo (se)cura humana vem realizando várias ações na unidade desde março, como expedições, palestras, bate-papos e performances. Nesse contexto, no dia 22 de abril o grupo apresentará a performance inédita CORPO-ÁRVORE.

Essa performance trará uma realidade futura de colapso ambiental em que seus sobreviventes encontrarão a última árvore restante, mas completamente despedaçada. Em um ato de busca por salvação tentarão fazê-la ressuscitar e produzir umidade novamente. Para isso utilizarão suas máquinas e tecnologias visando recriar o sistema orgânico de uma árvore, criando assim uma árvore-máquina que por meio de sua evapotranspiração umidifique a vida ao seu redor e quem sabe restitua os importantes rios voadores que distribuem umidade pelo mundo.

Essa árvore-máquina germinará a vida? Nosso ser apartado da natureza será redimido por essa invenção? Os seres presentes terão seus afetos umidificados?

Questões importantes em um mundo que ruma para o colapso e em que parte expressiva da comunidade dos humanos tem apostado em saídas tecnológicas para se esquivar do problema e manter seu modo de vida. O que está realmente em questão: uma nova tecnologia menos impactante ou uma mudança de paradigma?




Performance de Flavio Barollo, Jeferson Rogério, Malu Avelar e Wellington Tibério

@flaviobarollo @welltiberio @malu95avelar_ @acquafluisolucoes #jefersonrogerio

Concepção e roteiro de Flavio Barollo e Wellington Tibério

Direção artística e tecnologias de Flavio Barollo

Colaboração criativa de Edu Marin

Trilha original de Craca @cracabeat

Provocação de Gabriela Leirias @gabrielaleirias

Coordenação técnica de Jeferson Rogério

Fotos de divulgação de Edu Marin com o tratamento Flavio Barollo utilizando Inteligência Artificial

Ensaios e fotos feitos no Galpão Cru @galpao_cru



6 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page